Posts com Tag ‘Mortal Kombat’

Algo vem incomodando os donos de PS3 e XBox360 que compram jogos usados. Uma espécie de Online Pass para poder jogar seus jogos online. O primeiro game que eu comprei com essa função foi o novo Mortal Kombat pra PS3 que veio com um voucher para baixar um onlinepass e poder jogar o game online.

Me lembro da época que tinha videogames de cartucho e rodava a Santa Ifigênia atrás de games usados, com o valor muito abaixo do preço do game novo na loja. fiz isso com o NES, Super NES, Nintendo 64 (Zelda Ocarina of Time eu só consegui por as mãos em um cartucho usado) e ultimamente tenho comprado bastante jogo usado de PS3, aproveitando que as condições dos jogos são sempre em ótimo estado e a mídia Blueray dificilmente apresenta qualquer tipo de risco.

Não é de hoje que jogos e softwares usados não são bem vistos pelas Softhouses. Se você já leu algum contrato ou licença de uso (coisa que eu duvido muito), na realidade você não “compra” o jogo ou software, você paga pela licença de utilização do produto, ou seja, você paga “pedágio” para jogar o jogo que alguém inventou e de acordo com a EULA, é proibido fazer cópias (claro), alugar, vender ou até mesmo emprestar! Concordo com isso até o ponto em vender uma cópia usada, na teoria, se eu não gostei do jogo, devo jogar no lixo e tomar muito cuidado para que alguém não revire minha lixeira e acabe encontrando um jogo chato e descartado e corra o risco de instalar em casa, jogar e se arrepender em ter se sujeitado a revirar o meu lixo. Acho que vender um jogo usado, de certa forma ajuda a promover a franquia e também a facilitar a vida de quem esta com pouca grana pra comprar o jogo na loja. Outra situação é quando o jogo não está mais disponível para compra em lugar nenhum, como jogos clássicos que já saíram da prateleira a algum tempo.

Minha Lista de Games

Eu sou 100% a favor da compra de games originais e até o meu PSP, famoso por ser o console mais pirateado da história, é original de fábrica e está atualizado na ultima versão disponível pela Sony. Todos os meus videogames usam jogos originais, mas nem todos os jogos foram comprados em lojas. Alguns eu consegui comprando usado e mesmo assim com preço não muito longe do que eu pagaria em uma cópia nova. A realidade do Brasil ainda está longe de poder viver de copias novas. O preço médio do jogo no mercado nacional, e eu não estou falando do mercado de importação sem nota, é de R$150,00, podendo variar entre R$99,00 os jogos um pouco mais antigos e R$200,00 pelos lançamentos. Fica complicado manter uma boa biblioteca de games com valores nessa faixa, ainda mais porque o maior problema do Brasil, além dos impostos abusivos, é que os jogos demoram muito para sair da faixa de preço de lançamento para o preço médio que deveria valer o jogo. Por exemplo: Um game lançamento nos EUA sai em média US$60,00 e depois algumas semanas, o game já está saindo por algo em torno de US$30,00, como é o caso do Killzone3, que aqui no Brasil, lançado quase simultaneamente ainda está com o valor de lançamento.

Outro ponto que poderia facilitar nas vendas de games novos é que quando alguém vende um jogo usado, provavelmente ele irá interar o valor da compra de outro jogo novo, mantendo o mercado ativo, mesmo que em menor volume caso ninguém tivesse comprado jogo usado dele. O que talvez não movimente nenhum valor para o mercado é a troca de games, mas essa prática é ainda menor, tendo em vista que os dois jogos já foram pagos por alguém e sempre haverá a necessidade de jogar os lançamentos e para isso alguém vai ter que comprar. Particularmente eu não gosto de trocas, tenho uma coleção em crescimento e mesmo que o jogo não tenha agradado muito, eu não me desfaço dele.

Para evitar esse mercado paralelo, algumas empresas, inclusive a própria Sony, estão adotando pequenas medidas como a inclusão de um Online Pass em seus jogos. A sony confirmou que os jogos que vierem a partir do lançamento de Resistance3 terão uma chave única chamada de PSN Pass, restringindo a opção de jogar online apenas a uma conta de PSN. Jogos como Mortal Kombat já tem a sua própria chave para se jogar online e é necessário pagar US$10,00 para comprar uma nova licença, caso você compre o jogo de segunda mão. Muitas outras táticas estão começando a surgir, como por exemplo o game Resident Evil The Mercenaries 3D  vem com uma função de deixar os gamers mais antigos um pouco irritados, uma vez iniciado o jogo, não é possível apagar os saves. Isso mesmo que você leu, não há como apagar o progresso do jogo e se você comprar esse game de alguém e não puder bater o record do antigo dono, vei ter que conviver com a ideia de que você é um Looser e merce voltar a jogar tetris no Brickgame. Brincadeiras a parte, a Capcom deu a seguinte justificativa:

O progresso das missões dentro do game são salvas de forma automática no cartucho, o que explicaria a impossibilidade de se apagar os dados. Como um dos principais objetivos do game é terminar as mesmas missões várias vezes para conseguir aumentar a pontuação em cada uma delas, a Capcom não acha que esse detalhe vai prejudicar o jogador”.

Ainda pretendo comprar jogos usados e como não disponho de uma conexão digna à internet, jogar online não tem sido uma opção para mim, logo essas restrições a principio não irã me incomodar. O problema vai ser quando começarem a  restringir o uso “Offline” do game, como a Ubisoft faz no polêmico Assassin’s Creed 2 que só pode ser jogado estando online.

Tief

Anúncios

Olá pessoas!

Eu queria estreiar o primeiro post oficial falando sobre a E3, mas antes de preparar o texto, resolvi experimentar o pedido de desculpas da Sony aos clientes utilizadores do serviço Playstation Network, chamado de Welcome Back.

Em 20 de Abril, a Sony teve o seu momento de “11 de setembro” e “as torres gêmeas” que cairam foi a rede Playstation Network, por praticamente um mês. De acordo com a Sony, a rede PSN sofreu um ataque hacker que além de derrubar o serviço, ainda obteve dados pessoais dos quase 80 milhões de usuários cadastrados.

A cosia ficou feia quando se falou em roubo de cartões de credito cadastrados na loja virtual Playstation Store. Quase um mês depois do incidente, a sony volta com um update de segurança e alguns brindes interessantes para as vítimas do ataque. A possibilidade de baixar gratuitamente 2 dentre 4 jogos para Playstation 3 e 2 dentre 4 jogos para PSP.

Imagina a minha alegria, duro no fim do mês, podendo baixar 2 jogos de graça e ainda poder experimentar o modo online do Mortal Kombat que pela falta da rede, não tinha experimentado socar algum gringo online no multiplayer do jogo. (Mentira, tomei uma surra do KCT, mais a culpa foi do lag. LOL. Essa história eu conto depois).

Os jogos disponíveis pra PS3 são: inFamous, Little big planet, Dead nation e Super Stardust. Como eu já tinha o inFamous, baixei o Little big planet e o Dead Nation.

Esse Dead Nation realmente me surpreendeu. É um jogo bem simples onde o objetivo é atravessar a cidade de um ponto ao outro sozinho e armado até os dentes. O problema é que a cidade esta infestada de zumbis ao estilo “Madrugada dos Mortos”, daqueles que saem correndo ao invés de ficar andando mongamente e gemendo. Bom esse é um assunto que um dia eu pretendo abordar aqui também. O jogo leva o mesmo estilo de Left 4 dead, com zumbis e mutantes metidos a Bioweapon, só que ao invés de FPS, o jogo tem visão aérea e os personagens são relativamente pequenos, mas sem perder a qualidade gráfica, que pra um jogo de menos de 2 Gigas é até bacana.

O legal é que o jogo tem uma certa dosagem de violência e bastante sangue pro tamanho dos personagens. claro que se você acabou de jogar o novo Mortal Kombat, é melhor terminar primeiro o little big planet, pra não achar que faltam visceras no jogo, lol.

Bom, resumindo, graças ao programa Welcome back da sony, nós brasileiros que não gastamos um centavo com a PSN e não colocamos nossos dados verdadeiros, muito menos cartão de crédito, 2 jogos for free pra passar o final de semana foi um bom pedido de desculpas. OK Sony, você me comprou mais uma vez!

Tief